“Um homem caseiro e muito família”, diz tio sobre tenente da PM assassinado

0
9
Resultado de imagem para banner 728x90 gif

O tenente da PM Herison de Oliveira Bezerra foi assassinado a tiros dentro de uma boate do Setor Arniqueiras, em Águas Claras. Um policial civil está preso acusado do crime

Ainda sem acreditar no que aconteceu, familiares do tenente Herison de Oliveira Bezerra, assassinado a tiros dentro de uma boate do Setor Arniqueiras, em Águas Claras, se reúnem na casa da avó dele, em Ceilândia, na manhã desta segunda-feira (15/4). “Eu fui o primeiro a receber a notícia, ainda de madrugada. Ninguém aqui consegue acreditar no que aconteceu e também não sabemos o que fazer”, desabafa um tio do militar, o funcionário público Sérgio Messias, 53.
O policial militar morava em Águas Claras, com a mãe e o filho, de 15 anos. Ele acabou morto na madrugada desta segunda-feira (15/4), ao ser baleado por um policial civil. Uma mulher também ficou ferida na coxa e foi levada consciente para o Hospital de Base.
O tio de Herison conta que o sobrinho sempre foi uma pessoa boa, que costumava ajudar a todos da família. “Ele já estava trabalhando na parte administrativa da PM, não estava mais indo às ruas, que são perigosas. Não conseguimos nem acreditar que isso aconteceu”, lamenta.
Herison nasceu no Guará e sempre foi muito ligado à família. Trabalhar no 10° Batalhão da PM, em Ceilândia, fazia com que ele visitasse a avó todos os dias. “Ele sempre ligava e perguntava se tinha almoço. Minha mãe mora sozinha e ele era uma companhia frequente para ela”, lembra o tio.
Sérgio ainda acrescenta que o sobrinho não costumava sair muito, que era caseiro. “Ontem, ele (Herison) saiu com a namorada. Ela está muito abalada e foi prestar depoimento hoje de manhã”, conta. De acordo com o tio, o filho e a mãe do PM estão muito abalados e os familiares estão reunidos para conseguir resolver as pendências do velório e trocar apoio.

Nota de pesar

Em nota, a PM comunicou a morte do tenente Herison e detalhou a atuação dele na corporação. “O tenente ingressou na PMDF no ano de 2012 e concluiu o Curso de Formação de Oficiais três anos depois. Ele atuou no Grupo Tático Operacional do 10º Batalhão (Gtop 30) com grande produtividade. A eficiência do policial lhe rendeu uma homenagem na Câmara dos Deputados, no dia 14 de maio de 2018. Na ocasião o tenente Herison tinha apreendido mais de 50 armas de fogo e recuperado 20 veículos produtos de roubo e furto, em 6 anos de serviço. O policial tinha 38 anos e deixa um filho adolescente. A Polícia Militar se solidariza com os familiares e amigos neste momento de dor e perda de um grande profissional.”
Correio Brasiliense
Resultado de imagem para banner 728x90 gif

DDEIXE UMA RESPOSTAEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui